Pets em apartamento

Você está doido para ter um animalzinho de estimação, mas ainda resiste à ideia apenas porque mora em apartamento? Que nada! É possível, sim, ter pets em lugares de espaço reduzido – bastam alguns cuidados para manter a saúde e o bem-estar do bichano, assim como garantir a convivência harmoniosa com a vizinhança. Aliás, criar pets em apartamentos é direito assegurado pelo Código Civil; o condomínio não pode proibir, mas apenas regular a forma como o animal é conduzido nas áreas comuns.
Então, o primeiro passo é decidir qual pet combina com você. Gatos são mais independentes, ficam sozinhos em casa por mais tempo e não precisam ser levados para passear na rua. Basta deixar água, comida e a caixinha de areia para as necessidades que eles ficam sozinhos numa boa. O maior cuidado é com as janelas – que precisam ficar fechadas ou ter telas de proteção, para garantir a segurança dos bichinhos.

gabi 4

Gabriela Sparati adotou os gatos Kevin e Jessie e apostou em redes nas janelas do apartamento e arranhadores.

Já os cachorros gostam de mais atenção, têm energia de sobra e precisam sair para ter contato com outros ambientes, cheiros e cães – estímulos essenciais para a saúde do corpo e da mente do animal. Por isso, saiba que você terá de planejar as saídas para um passeio com o seu cachorrinho. Atividade física é extremamente importante, pois espantam as ameaças do sedentarismo e estresse. Brinquedos são ótimos para os bichanos se divertirem e ainda gastarem um pouco de energia.

cindy

Mariana Primi Haas escolheu uma beagle para lhe fazer companhia e não descuida dos passeios: são importantes para evitar problemas de saúde, como a obesidade, em cachorros.

Lembre-se que os amigos de quatro patas precisam de cuidados constantes com alimentação de boa qualidade, água fresca, banhos, tosas (dependendo da raça), escovação (para a saúde do pelo), vacina e vermífugos em dia. Ah, e eles também necessitam de um local próprio para fazer as necessidades a qualquer momento (segurar xixi não faz bem!). E, claro, um item fundamental: muito amor.

 

A Gabriela Sperati adotou dois gatos – o Kevin e a Jessie – no começo de 2014. Ela dá algumas dicas bacanas para quem quiser apostar num amigo felino:

 

“Minha primeira preocupação foi com as janelas, que, na mesma semana, estavam com redes. Gatos adoram locais altos, então para evitar acidentes, investi em casinhas que pudessem ser colocadas em locais altos, como uma cesta que fica presa atrás da porta. Arranhadores também são indispensáveis para quem não quer móveis destruídos, depois que se acostumam, passam sempre por ele para dar aquela alongada”.

Rafaella Tavollassi diz que não há segredo para cuidar do seu gato persa Dólar: “O Dólar sempre viveu dentro de apartamento e não sente nenhuma necessidade de sair, pois esse é o habitat dele. Sempre cuidei dele com o maior carinho. É um fofo. Dorme 16 horas por dia, faz suas necessidades na caixinha, come apenas ração e é muito obediente”.

dolar2

Esse é o Dólar, gato persa da Rafaella Tavollassi . Ele dorme 16 horas por dia, só come ração e faz suas necessidades na caixinha.

Já Mariana Primi Haas escolheu um amigo cão, da raça beagle – a Cindy. “Ter cachorro é uma delícia. No entanto, precisamos ficar atentos aos horários de passeio, pois a falta de exercício físico pode gerar diversos problemas de saúde, a começar pela obesidade”.

Print Friendly and PDF

Comente este artigo

cinco + 15 =