Estética e sustentabilidade com pé-direito alto

Entrar numa residência em que o teto está láááá em cima e não se apaixonar por todo aquele espaço aberto é caso de loucura! Pés-direitos maiores que os convencionais têm sido cada vez mais usados em imóveis à venda de alto padrão, principalmente pelo status que conferem à residência. Mas afinal, o correto é pé-direito alto ou duplo? Ambos estão certos e significam coisas diferentes.

_______________________________________________________________________

Você pode se interessar também:

5 dicas para revitalizar o assoalho de madeira

9 apartamentos em São Paulo com paredes de quadro negro

_______________________________________________________________________

Começando do começo, a expressão pé-direito é usada na arquitetura para designar a distância vertical entre o piso acabado e a parte inferior do teto ou do forro de um ambiente, com altura média entre 2,50m e 2,70m. O pé-direito alto se refere a alturas que variam entre 2,8 a 4,5 metros. Acima disso chamamos de duplo, que é a soma das alturas dos pés-direitos do piso inferior com o do pavimento superior.

Estética e sustentabilidade com pé-direito alto. Fonte: Pinterest

Vantagens do pé-direito alto ou duplo

O uso do pé-direito alto ou duplo é cada vez mais explorado por arquitetos e decoradores, normalmente usados em ambientes sociais, como salas de estar, de jantar e de televisão dos imóveis à venda pela cidade. Para os especialistas, esse artifício não apresenta vantagens em termos de construção, mas garante destaque especial ao imóvel, principalmente pela amplitude do ambiente.

É preciso tomar cuidado, entretanto, para que essa sensação não se torne uma desvantagem, sobretudo quando a decoração deixa o cômodo com cara de frio ou subutilizado.

A dica para fugir disso é apostar na iluminação ou em jogos de luzes que trazem conforto e calor.  Na parede maior você pode, ainda, criar uma exclusiva galeria, reunindo suas obras favoritas, ou revestir com papel de parede, painéis de madeira ou pedra, criando maior aconchego. Cortinas de tecido também aquecem o ambiente.

Estética e sustentabilidade com pé-direito alto. Fonte: Casa de Valentina

E no caso de o pé-direito duplo formar um mezanino, basta protegê-lo com guarda-corpos e usar a criatividade. Pode-se criar um corredor, uma sala de TV ou de jogos, montar seu home office, um ateliê, uma biblioteca ou mesmo um quarto amplo.

Além de lindos, são sustentáveis!

Não há dúvidas das vantagens estéticas dos imóveis à venda com pé-direito alto ou duplo. Mas muitos arquitetos estão optando por este recurso também por questões sustentáveis.

Por exemplo, é possível economizar energia para iluminação e climatização dos cômodos, já que a possibilidade de usar panos de vidro maiores confere maior iluminação e arejamento – como o ar quente tende a subir, em geral os cômodos com o pé direito alto costumam ser mais frescos.

Além disso, mesmo que os custos para construção costumem ser entre 15% e 20% maiores que no caso de pé-direito convencional, esses imóveis à venda têm grande liquidez, pois é cada vez maior o número de casais e famílias que buscam a estética e o conforto do pé-direito alto ou duplo.

Estética e sustentabilidade com pé-direito alto. Fonte: Casa & Jardim

Print Friendly and PDF

Comente este artigo